10 de janeiro de 2011

AFETO DIGNO


Um carro comprado em infinitas prestações e quitado é uma conquista que poucos conseguem. E quando isso acontece trás um sentimento de dignidade incrível.
Meu carro foi comprado assim...com muita dignidade! Ele é um fiesta ano 1999, modêlo 2000. Não sei porque temos que mencionar que o modelo é um ano a frente da fabricação. Acho que é a "azeitona" da dignidade.
Nessa conquista da dignidade - não do objeto em si - mas da condição de tornar visível o fruto do trabalho, e ainda tendo a fé envolvida neste processo, é que o objeto torna-se envolvido por um afeto digno de evidência. O desejo é que o carro nunca se acabe, que ele seja revestido da imortalidade que os míseros mortais lutam por conseguir.
E nesse desejo lhe damos honra na tentativa de justificar e respaldar essa imortalidade.
Na verdade estou falando do "MOMOM". Este fiesta se chama MOMOM. Carro velho perde a marca e recebe um nome. Afetividade. Quem lhe deu este nome foi o meu filho Eric - meu filho especial, diferente - foi nomeado pelo "eriquês" ( o idioma do Eric). Que dignidade especial. Poucas palavras o Eric consegue dizer, e em relação ao fiesta ele lhe dá a dignidade da identidade: MOMOM.
MOMOM foi um carro que passou os seus dias servindo a uma equipe que tem como missão servir. MOMOM serviu com tanta dignidade que transportou equipamentos, viajou milhares de km, levou até 09 pessoas de uma só vez ( isso lhe custou uma infração), andou por lugares perigosos em horários indevidos só pra servir. Carregou toneladas de papeis pra reciclagem buscando dar sustentabilidade a causa do serviço; foi alienado devido a uma dívida que não era dele. Suportou por longos anos andar com o seu "alimento" na reserva porque era um carro de fé. Fora os muitos meses que para se refrescar era preciso a exemplo de Elias pedir que chovesse. MOMOM realmente foi um carro de dignidade exemplar.
Dia 08 recebi a notícia que MOMOM morreu. Que lamentação ele evocou. Muitos lamentaram, outros o ovacionaram e ainda outros perguntaram: "Como vamos servir sem o MOMOM?"
Nos últimos anos MOMOM queixava-se sempre. Não podia passar perto da oficina que gemia por um descanso. Gastamos muito pra vê-lo fortalecido - Ele merecia. Mas entendemos agora que ele precisava descansar.
Estamos todos de luto. Sabemos que mesmo que "outro" chegue até nós, vai ser preciso conquistar dignidade e afeto assim como MOMOM conquistou.
Pois dignidade não se compra e afeto não se vende!

1999 - 2011
Aqui MOMOM encerra sua trajetória de serviço, sem nunca encerrar sua trajetória de dignidade.

Rose Lira


6 comentários:

  1. Bravo dona Rose! Muito bem escrito!

    ResponderExcluir
  2. Lamentável a partida de nosso MOMOM! Grande guerreiro e companheiro. Ainda tive a oportunidade de viver bons momentos com ele. Obrigada MOMOM!

    ResponderExcluir
  3. É lamentável saber da morte de MOMOM. Mas é bom saber que há dignidade em seu coração, Rose! Um abraço que, nosso Deus te abençoe com a paz e a graça de Jesus. Adorei o texto!

    Do amigo beto

    ResponderExcluir
  4. Que legal é reencontrar gente por aqui....obrigada pela leitura e participação!

    ResponderExcluir
  5. Olá Rose !
    Adorei essa história...
    Realmente certos valores depois de conquistados não morrem assim fácil não.
    Um abraço...
    Aninha
    Marcolandia-PI

    ResponderExcluir
  6. Olá Rose, seu trabalho é muito duro e extressante (rsrs) eu sei que é sério, que pena que não trabalho com vcs, mais saiba que tem gente aqui em Aracaju que gostaria de sentir esse gostinho de missões, por mais que eu não tenha participação, mais com palavras eu divulgo vcs, bjão.....saudades de ti.

    Alexandra (Sandra)

    ResponderExcluir

Poderá gostar também:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...